As pessoas estão sempre tentando extrair o melhor dos seus momentos.

Durante o dia, diversas situações acontecem em que precisamos de soluções.

Por isso, o Google criou um serviço tão bom, que os seus usuários continuam voltando toda vez que precisam de uma resposta.

Eles conseguiram virar um padrão. A frase “Faz uma busca na internet” virou “Dá um Google”.

Olha esse video:

 

Em 2005, foi criado o “primeiro momento da verdade” ou FMOT(first moment of truth). Ele se referia ao momento de decisão de compra de um produto. Nesse caso, o comprador estaria na loja fazendo uma visita para decidir se compra o produto ou não.
​Em 2009, o Google introduziu o Momento da verdade Zero ou ZMOT (Zero moment of truth). Eles perceberam que antes de ir à loja, o comprador estava pesquisando na internet e já chegava com a decisão de compra feita. Em muitos casos o comprador tem mais conhecimento sobre o produto que o próprio vendedor.

Depois, eles perceberam que esses momentos foram ficando cada vez mais frequentes no dia-a-dia das pessoas. Então, lançaram o conceito de micro-momentos.

 

Micro-momentos: os hábitos de compra mudaram.

​ No artigo citado acima o Google posta a seguinte frase:

“O comportamento de consumo mudou para sempre. Hoje, a batalha pela conquista de corações, mentes e dinheiro é vencida ou perdida em micro-momentos – minúsculos momentos de intenção de tomada de decisão e formação de preferências que ocorrem durante a jornada do consumidor.

“Consumer behavior has changed forever. Today’s battle for hearts, minds, and dollars is won (or lost) in micro-moments—intent-driven moments of decision-making and preference-shaping that occur throughout the entire consumer journey.” 

Vamos tentar destrinchar isso que eles resumiram:

  1. Os hábitos de compra mudaram para sempre.
  2. As empresas travam uma batalha publicitária pelos corações, mentes e dinheiro das pessoas.
  3. Essa batalha é travada em minúsculos momentos de decisão durante a jornada de compra – Precisei, busquei, achei, comprei.
  4. Durante essa “jornada” as pessoas acabam formando suas opiniões e tomam suas decisões.
  5. Por isso, criar conteúdo com respostas a essas perguntas gera a possibilidade de participar da jornada do comprador, interferindo, indiretamente, nessa tomada de decisão. Produzindo um relacionamento com uma audiência que ainda não comprou o seu produto. Isso coloca sua marca numa posição muito favorável na hora em que o usuário decidir consumir produtos relacionados.

Ainda um pouco mais sobre esses micro-momentos, o Google os separou em 4 atividades diferentes:


Eu quero Saber

​Quando as pessoas querem aprender sobre determinado assunto. Elas estão procurando páginas que transfiram conhecimento sobre algum tema específico. Algo que, por exemplo, elas viram num anúncio e querem aprender mais a respeito.

Eu quero Ir

​Momento onde elas precisam chegar a algum lugar e a facilidade de ter um GPS na palma da mão.

Eu quero Fazer

​Na internet tem um monte de especialistas. As pessoas não precisam mais esperar para fazer algo que precisam. Seja uma receita de bolo ou o passo a passo para fazer o nó da gravata, tem tudo online.

Eu quero Comprar

​Tomando decisão para a próxima compra. Seja para repor o estoque de papel do escritório, ou o próximo presente de aniversário de uma pessoa querida. Todas as etapas do processo de compra passam pela internet.

Como fazer para estar presente no dia-a-dia das pessoas

Enquanto esses micro-momentos acontecem, é fundamental ter uma presença online relevante. Um website que atenda a essas pesquisas e que responda as perguntas que as pessoas estão fazendo.

​Mas só isso não é suficiente.

Simplesmente colocar a informação online, por melhor que ela seja, não vai adiantar nada se o Google não perceber que você tem resposta para algumas dessas perguntas e te “apresentar” como uma possível solução.

É nessa hora que o trabalho do SEO faz toda a diferença num negócio.

Nosso trabalho é reduzir a distância entre a sua empresa e os seus clientes em potencial e fazemos isso criando estratégias de presença online específicas para cada negócio.

Seu website é o “ponto” online da sua empresa

Essa é uma ótima analogia para a função do seu website dentro da sua estrutura de negócios e como otimizar para os buscadores é fundamental.

Pensa no seguinte, quanto vale o ponto da sua loja? Qualquer comerciante sabe o valor de um bom ponto. Em alguns casos o ponto errado pode determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa.

No primeiro ano de uma loja num grande shopping center no Rio de Janeiro, o investimento chega a mais de R$750.000 só com aluguel e luva. Sem mencionar funcionários e produtos.

Agora é completamente inútil abrir uma loja de R$1,99 dentro de um shopping de alto padrão em uma grande cidade, assim como abrir uma joalheria de luxo no comércio popular da cidade.

É importantíssimo saber seu publico alvo e se ele está presente no local onde a loja vai ser aberta. Mesmo assim, as pessoas demoram para assimilar o local da sua loja e inserir no seu dia a dia uma visita ao novo estabelecimento.

Uma amiga minha, que sempre trabalhou no comercio, tinha por estratégia não fazer nenhuma retirada financeira de uma loja nova nos primeiros 2 anos de existência da mesma. Eu sei que isso é quase impossível para a maioria das pessoas, mas deu muito certo para ela. Dentro desse período a loja tinha que se pagar e gerar lucro. Se não o fizesse eles fechavam e procuravam outro ponto.

Mas vamos voltar ao nosso tema central.

Ter um site otimizado para sua audiência é como contratar um bom ponto para o seu negócio.Mas como o mundo online é tudo virtual, algumas regras da física são quebradas. 🙂

As pesquisas das pessoas são como ruas ou rios (streams) de fluxo de pessoas. Cada página do seu site pode ser um ponto de entrada. E o limite é a quantidade de conteúdo existente e a demanda real do seu negócio.

O Google analisa esse conteúdo do seu site e, somado com os mais de 200 fatores de ranqueamento, te “posiciona” nas listas de respostas dos buscadores.

Não há limites impostos para a quantidade de palavras que seu site pode aparecer.

Um bom profissional de otimização (SEO) vai analisar quais são as “ruas” importantes para o seu negócio e vai te mostrar o caminho para aparecer aos seus clientes.

Esse profissional também vai identificar um monte de problemas técnicos que você precisa ajustar para que os mecanismos de pesquisa possam te encontrar com mais facilidade.

Se esse profissional de SEO for muito bom ele também vai falar sobre o seu negócio no meio digital e como se relacionar melhor com a sua audiência.

Mas e agora, o que fazer?

Existem diversas maneiras de fazer um negócio funcionar. O SEO é uma delas que, atrelado a uma estratégia de marketing já existente, pode fazer milagres para uma empresa. São diversos os relatos de negócios que cresceram e funcionam unicamente com o tráfego orgânico.

Eu particularmente prefiro uma estratégia completa, com links patrocinados e mídias sociais funcionando em conjunto para o crescimento sustentável e contínuo da empresa. Atacando todas as frentes digitais relevantes, nunca esquecendo de medir os resultados e iterando as ações em função deles.

Independente de como você prefere gerir o seu negócio, definitivamente o SEO não pode ser ignorado.


Also published on Medium.

Pin It on Pinterest

Share This